[re]habilitar – Centro de tratamento para dependentes químicos

[RE]HABILITAR
Centro de tratamento para dependentes químicos

“O papel da arquitetura é criar um ambiente com significado para a vida humana. O que a arquitetura faz acima de tudo é criar ambientes, ambientes em que a ação humana pareça ter um significado. A arquitetura torna a vida significativa (…).” *

Durante a visita a uma clínica para dependentes químicos percebi como o espaço e o meio em que o paciente se recupera faz total diferença no seu tratamento. Um ambiente com espaços de qualidade e que favoreça a reflexão, bem como a convivência com outros dependentes, é fundamental para a troca de experiências, parte importante do tratamento para que os internados percebam que não estão sozinhos durante o processo de reabilitação.

O consumo de drogas é uma epidemia que destrói famílias e provoca desequilíbrio social. Os centros de reabilitação surgem como um meio para a recuperação e reinserção na sociedade de indivíduos que enfrentam essa enfermidade.
Considerando o contexto e minha percepção durante a visita à clínica para dependentes químicos, este projeto objetiva apresentar uma resposta e uma exploração arquitetônica aos modelos existentes de centros de tratamento.

Há dois tipos de centros de tratamento: as fazendas e as clínicas. Uma fazenda de recuperação é um local normalmente retirado da cidade, com um contato mais íntimo com a natureza, sendo, na maioria das vezes, aberta e com internação voluntária. Já a clínica de recuperação pode estar localizada no meio da cidade, na maioria das vezes são fechadas, ou seja, os pacientes ficam internados sem a possibilidade de sair antes do prazo determinado pelos responsáveis e pela clínica, e a internação poderá ocorrer de forma voluntária ou compulsória.

Para o desenvolvimento deste trabalho optou-se pelo modelo de tratamento adotado nas fazendas de recuperação. O local escolhido para implantação do projeto é uma área periférica da cidade de Capão da Canoa, às margens da Lagoa dos Quadros.
O principal objetivo do centro de tratamento para dependentes químicos é a recuperação do indivíduo visando a sua reinserção ao meio social. A recuperação é feita por meio de reuniões com os outros internos e com as famílias, acompanhamento com psicólogos ou psiquiatras, nutricionista, enfermeiros e laborterapia.

Baseado no programa terapêutico foram estabelecidos dois eixos que estruturam a disposição das atividades no terreno. O eixo laboral, posicionado longitudinalmente em relação ao lote, e o eixo espiritual, perpendicular ao primeiro. Ao longo do eixo laboral estão distribuídas as atividades cotidianas do programa. Já o eixo espiritual faz a conexão entre o exterior e o interior do conjunto. O eixo se estende sob uma abóbada que conduz na direção da capela, elemento que arremata a perspectiva. No encontro dos dois eixos é posicionada a praça seca, espaço comunal do conjunto que remete à vida cívica.

* CELANI, Gabriela; SPERLING, David. A arquitetura dá significado à vida. Entrevista com Antoine Picon. Entrevista, São Paulo, ano 19, n. 074.02, Vitruvius, jun. 2018 .

Deixe seu comentário


Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/premioiabrs/www/wp-includes/functions.php on line 3783

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (1) in /home/premioiabrs/www/wp-includes/functions.php on line 3783